Poço

Fundo do poço

Quando te sentires amargurado, e o mundo aparentemente irado virar-se contra ti, e te sentires no fundo dum infinito poço sem fim, olha aqui seu moço, é bom redundares um pouco, porém, enxergues além do falso arcabouço e não olhes aquém, tampouco a quem não goste de ti, não olhes ao lado, e centrado saibas: esse é o refluxo da maré em seu repuxo preconizando o teu gosto através do teu gesto modesto e proposto. Esperes pacientemente, porém, jamais passivamente, pois, a luta faz parte da vida da gente, continues de cabeça erguida não te abales e vejas que existe a vida e creias que existe um Deus dentro de ti, o qual esquadrinha até os teus rins. Como faz com a natureza nada deixando-lha faltar, quanto mais a ti que és a semelhança de sua realeza. Firmeza com fineza vai fazer acender o prazer em sua mesa e terás um bom fim.

jbcampos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s